PNI: 1,5 milhão de pessoas não tomaram a 2ª dose da vacina contra a Covid-19

Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro
Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro (Foto: Pilar Olivares/Reuters)

CNN Brasil

Levantamento do Ministério da Saúde aponta que 1,5 milhão de brasileiros não tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no prazo estabelecido pelos laboratórios. O intervalo entre as duas doses da vacina da AstraZeneca é de 84 dias e de 28 para a Coronavac. De acordo com o ministério, as pessoas não compareceram às unidades de saúde dentro do período para garantir a imunização completa, embora houvesse imunizante à disposição.

Agora, segundo a coordenadora do programa nacional de imunizações, Francieli Fontana, a pasta prepara uma lista para enviar aos estados e municípios com a relação de pessoas que não retornaram para se vacinar.  “Vamos emitir uma lista com essa situação e discutir uma forma para buscar essas pessoas a fim de se imunizar.” A orientação, para quem perdeu o prazo, é que procure o quanto antes os postos de vacinação. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, São Paulo é o estado com maior número de defasagem com 343.925 mil pessoas. Em seguida vem a Bahia onde 148.877 pessoas não retornaram para tomar a segunda dose. O Rio de Janeiro está em terceiro lugar nesta lista com 143.015 que ainda não tomaram a dose no intervalo certo. 

Leia mais

Órgãos de saúde dos EUA recomendam a paralisação do uso da vacina da Janssen

Municípios relatam ter recebido doses a menos da vacina Coronavac

Em conversa com jornalistas na manhã desta terça-feira (13), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou sobre as estratégias da pasta e protocolos estudados para enfrentar a pandemia. Há três semanas no comando do Ministério, Queiroga evitou fazer previsões de quando o Brasil voltará à normalidade já que, para isso, é necessário acelerar a vacinação o que depende de imunizantes. Atualmente, o Brasil enfrenta o problema no recebimento de Insumos Farmacêuticos Ativo (IFA). 

Queiroga informou que o Ministério da Saúde prepara um protocolo sanitário para disciplinar o uso de transporte público durante a pandemia. O documento deve ser apresentado na quinta-feira (15) para estados e municípios. O ministro informou que essa é uma forma de tentar evitar aglomeração no transporte público, mas reconheceu que não há como a pasta impor medidas restritivas, já que isso cabe a cada ente da federação. 

“Muitas pessoas que trabalham usam os transportes urbanos. Então será que a gente não pode melhorar? Vai ser um documento com tudo escrito, a ideia é fazer uma campanha. ” 

O ministro explicou que dentre as orientações está o uso de máscara de forma severa e o distanciamento social. “O Brasil é um país continental, uma medida linear, uma medida homogênea no país inteiro seguramente não vai funcionar, então é disciplinar determinadas condutas, como o uso de máscaras de uma maneira rigorosa. 

“Não são medidas referentes a lockdown, são medidas justamente para se evitar que chegar a cenários extremos.”

O ministro da Saúde informou que recebendo mais doses da vacina, será possível aumentar a quantidade de pessoas vacinadas diariamente. “Se tivermos doses disponíveis, que é o esforço que nós estamos fazendo, nós vamos imunizar 2,4 milhões de brasileiros todos os dias”, afirmou Queiroga.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s