Deputado federal propõe greve de médicos contra contratação de profissionais estrangeiros

Deputado federal propõe greve de médicos contra contratação de profissionais estrangeiros

Deputado federal propõe greve de médicos contra contratação de profissionais estrangeiros

Drº Luizinho, como é conhecido, gravou vídeo convocando uma greve de médicos no país caso propostas de inclusão de profissionais de outros países, para auxiliar no enfrentamento da pandemia, avance na Câmara

O médico e deputado federal, ex-secretário de estado saúde do RJ, Dr. Luizinho (PP-RJ), publicou um vídeo no Twitter instando a classe médica a realizar uma greve geral, em plena pandemia, contra a possível aprovação de Projetos de Lei que estão em discussão na Câmara dos Deputados que permitiriam a contratação de médicos estrangeiros e brasileiros com formação no exterior sem a necessidade do Revalida, de maneira excepcional. O vídeo foi apagado logo em seguida.

“Novamente querem trazer pessoas formadas em medicina de qualquer maneira no exterior para trabalharem nesse momento da pandemia […] eu conclamo todos os médicos do Brasil para que a gente convoque uma greve geral se esse projeto for aprovado”, disse Luizinho.

Dois Projetos de Lei sobre a contratação emergencial de médicos para atuarem enquanto durar a pandemia tramitam na Câmara. Um dos projetos é de autoria do deputado Aliel Machado (PSB-PR), que visa permitir a recontratação de maneira “excepcional” e sem processo seletivo de profissionais que atuaram no Programa Mais Médicos para atuarem na atenção primária no Sistema Único de Saúde (SUS).

O outro projeto é o PL 3252/2020, de autoria do deputado João Bacelar (Podemos-BA) propõe permitir a contratação de médicos brasileiros graduados em instituições estrangeiras mediante “revalidação temporária e emergencial dos diplomas”.

A Associação de Médicos Brasileiros (AMB) e o Conselho Federal de Medicina (CFM) se posicionaram contra os dois projetos. Segundo as entidades, não há falta de médicos no Brasil, mas sim a má distribuição destes profissionais.

A maior parte dos médicos prefere trabalhar nas grandes cidades e região central devido às melhores condições salariais, segundo levantamento, o que gera uma distribuição desigual pelo Brasil, afetando principalmente as regiões mais afastadas e carentes.

Daniel Spirin Reynaldo/Ascom CES-RJ

Mais Médicos