Vídeo: Fiocruz ilustra evolução da pandemia no Brasil até maior colapso hospitalar de sua história

Animação divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz mostra o período em que a pandemia esteve mais branda, em meados de outubro de 2020, até a atual situação em que 25 estados têm suas ocupações de UTI Covid-19 em nível crítico

O Dia

O Brasil registrou 2.842 mortes pela Covid-19 somente nas últimas 24 horas, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Para pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), este é o maior colapso sanitário e hospitalar da história do Brasil: das 27 unidades federativas, 24 estados e o Distrito Federal estão com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS) iguais ou superiores a 80%, sendo 15 com taxas iguais ou superiores a 90%.

Nesta quarta-feira, a Fiocruz publicou um vídeo em suas redes sociais para ilustrar o avanço da pandemia sobre o país.O conteúdo mostra justamente a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos nos estados do Brasil, dividindo-a em três níveis de alerta: baixo, médio e crítico. A fonte dos dados é o Observatório Covid-19 Fiocruz, que tem monitorado a pandemia no Brasil. Para isso, a animação recupera dados desde o dia 17 de julho de 2020, quando somente três estados e o Distrito Federal registravam nível alto.

Assista ao vídeo:

As cores se modificam no mapa do Brasil conforme se passam os dias e é possível identificar o momento, em meados de outubro, em que a pandemia esteve mais branda no país e as restrições também ficaram mais frouxas. O dia 5 de outubro de 2020, no vídeo, é o primeiro em que nenhuma das 27 unidades federativas apresentam alerta em nível crítico, mas se dividem entre o médio e o baixo. Esta situação se extende até 26 de outubro daquele ano.

A partir de 9 de novembro, segundo a animação, a cor vermelha volta a aparecer no mapa e ganhar território gradualmente – um retrato do que passou a ser chamado de segunda onda da pandemia. Passados os dias, esse avanço do alerta de nível crítico puxa também o amarelo do nível médio e mostra a piora nos sistemas hospitalares dos estados com o avanço do coronavírus e sua nova cepa, inicialmente identificada no Amazonas.

O dia 22 de fevereiro, no mapa, é o primeiro dia em que todos os estados apresentam alertas de nível médio ou crítico, sem nenhum com taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos em nível baixo. A animação termina com os dados do último dia 15 de março, segunda-feira, que denotam o que a Fiocruz definiu como o maior colapso sanitário e hospitalar da história do Brasil: de todas as 27 unidades federativas, somente duas – Rio de Janeiro e Roraima – apresentam nível médio nessa taxa de ocupação. Todos os outros 25 registraram taxas em nível crítico.

O Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 Fiocruz, divulgado nesta terça-feira (16), mostrou que das 27 unidades federativas, 24 estados e o Distrito Federal estão com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS) iguais ou superiores a 80%, sendo 15 com taxas iguais ou superiores a 90%. Em relação às capitais, 25 das 27 estão essas taxas iguais ou superiores a 80%, sendo 19 delas superiores a 90%. Os dados são das secretarias estaduais de Saúde e do Distrito Federal, e secretarias de Saúde das capitais.

Foto de capa: BBC Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s