Alta de casos

Após flexibilização, RJ volta a registrar aumento de mortes por Covid-19

xmediamovel3107.jpg.pagespeed.ic.gkwFf5xznN

Mesmo com o aumento do número de casos e de óbitos por coronavírus no estado e capital, Rio entrou hoje em mais uma fase de flexibilização do isolamento

Após um mês de queda ou estabilidade no número de mortes causadas por Covid-19, o estado do Rio de Janeiro voltou a registrar aumento de vítimas fatais da doença. O índice de 60% a mais de mortos assusta por conta das medidas de flexibilização adotadas, tanto pelo governo, quanto pela prefeitura. Comércio, shoppings e bares foram autorizados a estenderem o horário de funcionamento e banhistas já podem frequentar as praias para banho de mar.

No O Globo

RIO – O Rio de Janeiro é um dos oito estados brasileiros que apresentam alta probabilidade de morte por Covid-19. Acre, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina e Tocantins também apresentaram um aumento superior a 15% na média diária móvel de mortalidade em comparação com duas semanas atrás.

Consulte : Veja aqui como está a situação do coronavírus no seu estado

O estado fluminense teve uma variação de 29% e é o único do Sudeste a apresentar tendência de alta. São Paulo e Minas Gerais demonstram estabilidade nos óbitos, enquanto o Espírito Santo está em queda. Apenas o Nordeste não tem nenhum estado com tendência de crescimento nas mortes por Covid-19.

O Brasil registrou nesta sexta-feira uma média móvel 1.026 mortes, mantendo-se com tendência estável. Apresentam estabilidade sete estados e mais o Distrito Federal. São eles: Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, São Paulo e Sergipe.

Leia mais: Por que o Brasil é o país onde mais morrem grávidas e mulheres no pós-parto pelo Covid-19 no mundo?

O país tem 11 estados com tendência de queda, concentrados, em sua maioria, nas regiões Norte e Nordeste. São eles: Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

A “média móvel de 7 dias” faz um cálculo entre o número de mortes do dia e os seis anteriores. Ela é comparada com a média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência de dados relacionados a “ruído” causado, por exemplo, pelos períodos finais de semana, quando uma notificação de mortes reduz por escassez de funcionários na planta.

As informações e cálculos são do consórcio de veículos de imprensa formados por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo. Os dados são coletados diretamente como secretários estaduais de Saúde.

Secretário de saúde do estado diz que curva da Covid-19 é “descendente e confiável”

 

Categorias:Alta de casos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s