CES-RJ aprova Moção de Apoio à categoria petroleira em meio à pandemia

O colegiado do Conselho estadual de Saúde do Rio de Janeiro aprovou durante sua Reunião Extraordinária virtual do dia 23 de junho de 2020 uma Moção de Apoio à categoria petroleira, vítima do descaso da Petrobrás com a saúde do pessoal próprio e, principalmente, com os terceirizados durante a pandemia do novo coronavírus 

moção de apoio

MOÇÃO DE APOIO À CATEGORIA PETROLEIRA

Considerando que:

  • O Conselho Estadual de Saúde do Rio de Janeiro (CES-RJ) se constitui como órgão de caráter deliberativo, com finalidades específicas, inclusive as de controlar e fiscalizar a execução das questões inderentes à política estadual de saúde em todos os seus aspectos econômicos e financeiros;
  • O controle social na área da saúde é um dos principais pilares do SUS e determina a participação dos diversos setores da população ao processo de formulação e do controle das políticas públicas de saúde;
  • A situação no estado do Rio de Janeiro, que leva a um verdadeiro colapso desta estrutura e ao desamparo dos (as) trabalhadores (as) da saúde, educação e de outras categorias fundamentais como é o caso dos trabalhadores da indústria do petróleo;
  • Os petroleiros desempenham importante papel econômico e estão sujeitos a um regime de trabalho diferenciado em refinarias, plataformas, terminais e dutos, levando a aglomerações e confinamento que facilitam a contaminação entre os trabalhadores aumentando em muito os riscos de insalubridade e periculosidade a que estão sujeitos e;
  • Neste momento de pandemia encontram-se sem acesso a testes rápidos e prevenção adequada levando a insegurança e o medo de contrair o novo coronavírus os petroleiros continuam trabalhando normalmente e acabam quando contagiados passando o vírus a outros trabalhadores sem saber.

É de conhecimento geral que os sindicatos petroleiros de todo Brasil vem alertando para o descaso da Petrobrás com o pessoal próprio e principalmente com os terceirizados. Na ânsia da entrega do patrimônio do povo brasileiro, a direção da empresa não se importa em sacrificar a saúde de seus trabalhadores, que quando infectados acabam infectando também seus familiares.

Assim como, em outros ramos do setor industrial a subnotificação é um problema grave, da mesma forma que o governo federal a Petrobrás também tem omitido o número de casos de infectados, a gestão do atual presidente Castello Branco tem escondido o número de novos casos e óbitos e quer o fim do isolamento social.

Algumas refinarias estão localizadas em municípios com uma curva crescente de contaminação e estão sendo reabertas para o funcionamento normal. Este é o caso de Refinaria de Duque de Caxias. Insistem em não negociar a divulgação dos dados de extrema importância na proliferação do Covid-19 em suas instalações.

No caso da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR) em Araucária-PR já é considerado o maior foco de transmissão neste município, onde mais da metade dos casos confirmados estão localizados nesta unidade industrial, fazendo-se necessária a interdição para higienização dos ambientes, novas testagens em massa, pois trabalhadores contaminados interagem com não testados nas trocas de turnos ou em locais compartilhados sema a divulgação desta anunciada crise sanitária.

A saúde dos trabalhadores, de suas famílias e das comunidades onde vivem está em primeiro lugar e os sindicatos seguem denunciando e tomado todas as ações para preservação da vida e a qualidade do trabalho realizado dentro da Petrobras depende disto.

Nas plataformas a situação se repete de forma intensa devido ao confinamento e a obrigatoriedade de voos em helicópteros onde são transportados dezenas de trabalhadores sem que ocorra testagem e o acompanhamento das condições de saúde destes, e até mesmo em muitos casos e falta de EPIs necessários para a proteção dos mesmos.

Assim sendo, com base acima exposto o CES/RJ declara seu apoio incondicional a luta das(os) trabalhadoras(es) dos setores de exploração, transporte, refino entre outros que fazem parte dessa atividade. Cobramos ainda, a Petrobrás se digne imediatamente tomar toda a providência necessária para a resolução de tão grave problemática.

Considerando que a deliberação deste conselho encontrará boa acolhida pela direção da empresa devido à importância da sua concretização, subscrevemos esta moção.

Conselho Estadual de Saúde do RJ

Rio de Janeiro, 23 de junho de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s