Saúde pública

Conselho Estadual de Saúde aprova moção de apoio contra o desmonte do Sistema Público de Saúde

MOÇÃO DE APOIO

Aprovação ocorreu no dia 18 de fevereiro e visa dar visibilidade, solidariedade aos operadores do sistema de saúde pública no país e oferecer apoio contra privatizações de estatais

O Plenário do Conselho Estadual de Saúde do Rio de Jeneiro, em sua Reunião Extraordinária realizada no dia 18 de fevereiro de 2020, aprovou uma moção de apoio se posicionando contra o desmonte do sistema público de saúde e em solidariedade à luta de servidores e entidades pela defesa dos hospitais públicos, das empresas estatais e de todo o Sistema Único de Saúde.

Leia a íntegra abaixo:

O Conselho Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais, conforme deliberação de seu Colegiado Pleno, na reunião Extraordinária de 18 de fevereiro de 2020, encaminha para conhecimento público, Moção a qual será dada ampla divulgação, inclusive por meios eletrônicos de acesso público.

O desmonte do Sistema Público de Saúde se agrava e indica claramente a intenção das administrações federais, estaduais e municipais no desmonte do SUS. O mesmo se repete na educação pública, no saneamento básico e nas empresas estatais e públicas.

Assim sendo, o CES/RJ vem manifestar a sua solidariedade e apoio às lutas na defesa dos Correios, Casa da Moeda, Petrobras, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Companhia DOCAS, Rio Saúde, Importação de medicamentos sem registro no Brasil, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, Atenção Básica, Saúde Mental, Aeroportos, Transporte, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, Urgência e Emergência, Concursos Públicos, Núcleo de Apoio à Saúde da Família – NASF, Rede de Atenção Psicossocial – RAPS e outras categorias que o governo central insiste em privatizar e entregar ao interesse do capital financeiro internacional, fato este que vem se repetindo nas esferas estaduais e municipais.

A privatização da Cedae é um exemplo bem claro desse processo, com funcionários demitidos, retirada de direitos e salários reduzidos.

Os salários congelados dos servidores públicos é um exemplo desta política, além da ameaça de reajuste do desconto da Previdência.

A campanha em defesa das estatais é fundamental contra a privatização e os leilões de petróleo.

A defesa intransigente do SUS é nosso dever e a luta pela democracia nosso principal objetivo.

CES/RJ

Daniel Spirin Reynaldo/Ascom CES-RJ

Categorias:Saúde pública

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s